Viña del Mar

Reloj de Flores – Foto: Ellen Queiroz

Fundada em 1878, Viña del Mar (ou Ciudad Jardín, como é carinhosamente chamada) recebeu esse nome devido a vinhedos conhecidos como “la viña de la mar”. No século XX, essa cidade cresceu e se tornou um balneário popular, muito bem frequentado pela aristocracia, que, aos poucos, ia dando valor às atividades ao ar livre e próximas ao mar. Desde então e com um grande investimento nos mercados hoteleiro e gastronômico, Viña é uma das principais atrações do Chile, sendo considerada até a capital turística do país, devido ao grande lucro que traz a esse setor.

Foto: Cassiany Simões

Situada a 120 km de Santiago, Viña del Mar pode ser visitada durante todo o ano e é, juntamente com Valparaíso, uma das opções de viagem bate-volta da maioria dos turistas que visita a capital chilena. Infelizmente, eu e as gurias não tivemos muito pique para conhecer a cidade como ela merecia e deixamos de fazer muitas coisas, mas você que está indo para lá tem essa oportunidade.

Foto: Ellen Queiroz

O que conhecer na cidade:

– Fica a 7 km de Viña e é a mais badalada das praias da região.

  • Playa Concón

– Fica a 18 km.

– Horários: de 1º de maio a 31 de agosto, das 10h às 18h; de 1º de setembro a 30 de abril, das 10h às 19h.

– Entrada: 2000 pesos chilenos para adultos; 1000 pesos para idosos, crianças e estudantes.

  • Reloj de Flores
  • Playa Caleta Abarca
  • Muelle (molhe) Vergara (Av. San Martín)

– Passeio para observar toda a baía de Valparaíso.

  • Parque Quinta Vergara (Calle Errázuriz s/nº)

– Abre todos os dias, entrada livre.

– Nele, fica o Palacio Vergara. É lá também que, no verão, acontece o Festival Internacional de la Canción de Viña del Mar.

  • Palacio Vergara

– Antigo casarão da família fundadora da cidade, agora, Museu de Belas Artes de Viña del Mar.

– Foi sede da Copa do Mundo de 1962.

  • Castelo Wulff (aos pés do Cerro Castillo)
  • Avenida Perú
  • Playa Acapulco

– Outra praia bastante frequentada.

– É lá onde, no lado de fora, fica um moai, uma daquelas famosas cabeças advindas da Ilha de Páscoa. Também fica lá a Escultura de la Defensa, obra de Augusto Rodin, doada pelo governo francês.

 – Horários: Segunda-feira, das 10h às 14h e das 15h às 18h; de terça a sábado, das 10h às 18h; domingo, das 10h às 14h.

– Entrada: 2500 pesos chilenos para adultos e 500 pesos para crianças.

  • Parroquia Virgen del Carmen (Av. Libertad, 394)

– Horários: de segunda à sexta-feira, das 9h30 às 13h e das 15h30 às 19h; sábado, das 10h às 13h; domingo, das 10h às 14h.

  • Plaza Colombia (Av. Perú)
  • Castillo Brunet (Rua Iberia, 104 – Cerro Castillo)

– Hoje, é de posse dos policiais do Chile e funciona como hotel, centro de eventos e de cerimônias.

  • Palacio Presidencial (Cerro Castillo)

– Lugar de descanso presidencial, sede alternativa ao Palacio de la Moneda.

  • Castillo Ross (Av. Marina, 50)
  • Parroquia Nuestra Señora de la Inmaculada Concepción (Republica, 205)
  • Laguna Sausalito (1 Norte, dobrando a Avenida Los Castaños)
  • Plaza José Francisco Vergara (centro)
  • Plaza Sucre (centro)
  • Casa Subercaseaux (esquina da Calle Valparaíso)

– Edificação histórica.

  • Teatro Municipal (Plaza Vergara s/nº)
  • Iglesia de Nuestra Señora de los Dolores (centro)
  • Palacio Rioja (Calle Quillota, 214)

– Lá, funcionam o Museo de Arte Decorativo e o Conservatório de Música Izidor Handler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *