Coisas básicas que todo viajante deve saber – Como economizar em uma viagem

Fazer uma viagem de mochilão, além de dar mais valor à cultura, à História, às pessoas e às experiências, implica em gastar menos em hospedagens, alimentação e transporte que em viagens mais turísticas. Estou aqui hoje para ajudar aqueles que querem economizar durante a viagem, mas não sabem como. Existem vários meios de fazer isso e, se empregados todos juntos, vão fazer a tua viagem bastante econômica, mas não ao ponto de passar perrengue, nem de se abster de passeios incríveis e bebedeiras esquecíveis.

  • Estipule um valor para gastar por dia.

Tente não passar do valor estipulado. Se passar, no dia seguinte tu vai ter que economizar mais. Se não passar, não gaste o que sobrou do dia anterior no dia seguinte. Guarde para o final da viagem e compre um presente a si mesmo, ou use para fazer aquele passeio que é um pouco mais caro e que tu já tinha cortado do teu roteiro, mas graças a esse dinheirinho extra vai rolar de pagar.

  • Se hospede em albergue, ou através de Couchsurfing/Facesurfing/Warmshower/BeWelcome/Hospitality Club.

Albergues tem aos montes por aí. Procure ficar em quartos coletivos. Eles, geralmente, são mais baratos. Escolha albergues com cozinha e que tenham café da manhã. Só esses fatores já são uma mão na roda.

O Couchsurfing já não é tão popular entre os brasileiros, mas muito na Europa e é uma ótima ferramenta para economizar, assim como o Facesurfing, o Warmshowers, o BeWelcome e o Hospitality Club. Obviamente, a hospedagem grátis não é a única motivação desses sites existirem. O objetivo principal deles é ficar na casa de um nativo e entrar em contato direto e aprofundado da cultura local. Isso trás experiências diferenciadas e maravilhosas. Expliquei mais sobre o CS aqui.

  • Acampe.

Ficar em camping é mais barato que hostel e, se tu for dessas pessoas que curtem acampamento roots, pode ser até de graça.

  • Troque trabalho por hospedagem e/ou comida.

Você não vai ganhar dinheiro, mas vai economizar muito, visto que hospedagem é uma das coisas que mais encarece o orçamento de um mochilão. Além disso, é uma oportunidade de ter experiências “profissionais” diferentes. Use sites como Wwoof, Helpx, Workaway, Worldpackers e House Sitting (tem vários sites dependendo do país).

  • Compre comida em supermercado e cozinhe no albergue.

Acredite, essa será a opção mais barata, embora menos prática que comer em restaurante ou em fast foods. O bom é que pode rolar de conhecer uma galera no hostel e dividir a conta do super, o que deixa tudo ainda mais econômico.

  • Aproveite o café da manhã do albergue e prepare um lanchinho extra pra comer enquanto estiver na rua.

Sempre bom pra enganar a fome por mais tempo.

  • Se não rolar de cozinhar ou se não estiver muito afim, coma em feiras de rua, botecos, enfim, lugares que não cobrem tão caro. Ou tenha uma refeição com locais através do Mealsharing.

Comida de rua e lanchonetes baratas são sempre uma opção interessante, principalmente para provar comida local. Comer nesses lugares não quer dizer que tu não possa comer em bons restaurantes, mas, se quiser economizar, evite comer sempre neles. Dispa-se de preconceitos, às vezes os botecos tem as melhores comidas. Outra opção muito legal e cultural é pagar um precinho camarada por uma refeição feita por um nativo através do Mealsharing e, de quebra, conhecer um pessoal diferente.

  • Verifique se há cartões para andar em transportes coletivos.

Geralmente, esses cartões existem, então corra atrás e faça-o. Só de pagar meia passagem de busão já ajuda muito no orçamento. MAS, só faça se tiver vantagem em relação ao custo do ticket normal.

  • Viaje à noite para economizar dinheiro da hospedagem.

Se a viagem de ônibus/trem demora bastante tempo, prefira viajar à noite. Com isso, tu não perde um dia inteiro de viagem e também não gasta com hospedagem.

  • Se possível, tente pegar carona.

Se sentir que é seguro, erga o dedo e tente uma carona. Além de mais econômico, ainda pode render experiências ótimas. Mas se sentir que não é seguro, por favor, siga a tua intuição. Pra ajudar, use o Hitchwiki.

  • Compre passes turísticos.

Um passe turístico, geralmente, dá acesso a vários pontos turísticos por um preço mais em conta e te isenta de pegar fila, não gastando muito dinheiro, nem perdendo muito tempo esperando entrar em algum lugar. É economia em dobro.

  • Carregue sempre a tua garrafinha de água.

Não compre água a todo momento. Ande sempre com a tua garrafa e vá enchendo onde der. Tem gente que não nega água para ninguém.

  • Faça carteirinha de estudante internacional.

Essas carteirinhas dão desconto em passeios na América do Sul e em museus na Europa, por exemplo. Não rola de perder isso.

  • Pesquise pontos turísticos gratuitos.

Sempre tem, e, muitas vezes, alguns pontos turísticos pagos têm um dia de gratuidade, portanto, pesquise e leve isso em conta na programação do roteiro.

  • Utilize sites de descontos.

É, nos outros países tem também. É uma ótima arrumar cupons de desconto em restaurantes, curso de mergulho, essas coisas todas que oferecem nesses sites. Aproveite.

  • Deixe as tuas frescuras para trás.

Em uma viagem, descobrimos que podemos viver com pouco e que esse pouco é o que realmente precisamos e o que realmente importa. O pouco é o essencial. Qualquer coisa muito além dele é frescura tua. Liberte-se do supérfluo, dos quereres passageiros, das manias dispensáveis. Deixe as tuas frescuras para trás, nem que seja pouco a pouco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *